O Balão

ENVELOPE
A parte em tecido dos balões chamada “envelope” é feita com nylon “rip stop” que recebe um tratamento à prova de fogo. Este nylon resiste a temperaturas superiores a 120ºC e oferece uma extraordinária resistência a calor, raios ultravioletas e umidade.
Novos tecidos são constantemente desenvolvidos para melhorar a vida útil dos balões, que hoje chega a aproximadamente 300h de voo.
A base do balão – boca – é construída com nomex resistente a 400ºC, esse tecido é totalmente a prova de fogo. Combinando diversos formatos e uma grande diversidade de cores, teremos várias possibilidades de criações de “envelopes” de balões.
 
 
 
MAÇARICO - O MOTOR DO BALÃO
O maçarico é considerado o motor do balão, feito de aço inoxidável. Forma de montagem: num quadro feito de tubos, monta-se uma “caneca” que servirá de base para fixação das válvulas da passagem, relógio, medidor de pressão de gás, válvula de abertura do vapor para a chama-piloto, conexões de ligações das mangueiras e a serpentina por onde o gás passa expedindo-o até chegar aos bicos de saída.
Quando o balão está em ascensão, a temperatura na coroa é de aproximadamente 100ºC. Os maçaricos possuem duas mangueiras que se conectam aos cilindros de gás, a que traz gás em forma líquida e o que traz em forma de vapor.
 
 
 
CILINDRO DE BALÃO OU BOTIJÃO
Normalmente, os cilindros ou botijões de um balão são de alumínio, aço inox ou titânio. É importante que sejam leves para não comprometer a relação de carga a ser levada no balão. Podem ser utilizados na vertical ou na horizontal com uma quantidade de carga variável de acordo com o fabricante. Normalmente, tem capacidade para 20 kg (P20) ou 30 kg (P30). São equipados com um relógio marcador de combustível, uma torneira para a saída de gás em forma líquida, um respiro para aliviar a pressão no momento de se fazer a recarga (que é chamado de refil) e ainda uma torneira para a saída do gás em forma gasosa nos cilindros que é chamado de “Master”.
A quantidade de cilindros levados em balão depende do tamanho do cesto, ou ainda, do interesse do piloto no momento do vôo. Quanto mais gás este puder levar, mais autonomia de vôo ele terá, normalmente são levados 04 cilindros.
 
 
CESTO
Conhecido também por “Gôndola”, é a parte do balão destinada a levar os ocupantes, cilindros, instrumentos, etc.
O material usado para se construir um cesto é o vime (junco), porque trançada alia leveza, durabilidade e beleza, além de demonstrar uma grande absorção de impactos para piloto e passageiro. Junto com vime, também são trançados cabos de aço que passam por de baixo do cesto, cuja função é sustentar todo o conjunto (cilindro e passageiro), e ainda tubos de alumínio para a colocação das bengalas (ou tarugos) de nylon que servem de sustentação do maçarico.
 
 
COMBUSTÍVEL
O combustível utilizado é propano, que é um gás liquefeito de petróleo usado pela a indústria, para a alimentação de fornos, caldeiras, etc.
 
 
VENTOINHA
É utilizada para inflagem do balão com ar frio. Dispõe de quadro metálico onde é fixado um motor de 3,5 HP a 13 HP alimentado à gasolina, que serve para girar uma hélice desenhada para empurrar o ar frio de maneira mais rápida e eficiente para dentro do envelope.
 

Local do Passeio : Rodovia Presidente Castello Branco, Km 116 | Centro Nacional de Páraquedismo, Boituva -SP, CEP: 18550-000

Passeio de Balão e Balonismo Promocional em todo Território Nacional.

Tels.: (15) 3363-7602 | (15) 99106-3320 | Whats: (11) 95432-8854